O Centro de Documentação e Apoio à Pesquisa tem por objetivo refletir a respeito do papel e significado dos bens culturais e de seus suportes, além de criar as condições para várias intervenções e serviços relacionados à preservação dos bens culturais, expressos no patrimônio histórico, literário e científico, alocados em seu acervo. E, ainda, garantir os programas de formação dos mediadores culturais, a produção de conhecimento científico sobre os bens culturais e a manutenção dos requisitos de apoio técnico e informativo às atividades de pesquisa, docência e extensão de serviços à comunidade, por meio de suas diversas atividades.

COLEÇÃO: Carolina Maria de Jesus

 

Área de identificação

 

Código de Referência:

CCMJ

 

Título:

Carolina Maria de Jesus

 

Data(s):

1958 - 1963

 

Nível de Descrição:

Coleção

 

Dimensão e suporte:

Documentos micrográficos

Microfilme: 11 rolos

 

Área de contextualização

 

Nome(s) do(s) produtor(es):

Carolina Maria de Jesus (1914 – 1977)

 

História administrativa / biografia:

Carolina Maria de Jesus nasceu em Sacramento, Minas Gerais, em 14 de março de 1914. Filha de meeiros e ex-escravos, estudou por apenas dois anos no Colégio Espírita Allan Kardec de sua cidade natal.  

Passou por diversas cidades do interior de Minas Gerais e de São Paulo, trabalhando como lavradora e empregada doméstica, até chegar à cidade de São Paulo, em 1947, onde se instalou em um cortiço do centro.

Desde 1948, moradora da favela do Canindé, Carolina trabalhou como catadora de papel e registrou suas vivências em cadernos coletados do próprio lixo. Após contato com o jornalista Audálio Dantas, que estava fazendo uma reportagem sobre o Canindé, em 1958, teve trechos de seus “Diários” publicados nos periódicos Folha da Noite e O Cruzeiro.

Desse contato, surgiu a oportunidade de publicar, em 1960, o seu primeiro e mais conhecido livro: Quarto de Despejo: o diário de uma favelada. O livro, publicado pela Editora Francisco Alves, foi um grande sucesso de vendas – dez mil exemplares em um mês –, teve várias edições e foi traduzido para mais de 10 idiomas.

A “poeta da favela”, como Carolina de Jesus gostava de se autointitular, publicou ainda os livros: Casa de alvenaria (1961), Provérbios (1963) e Pedaços de fome(1963). Após sua morte, em 13 de fevereiro de 1997, foram publicados os livros: Diário de Bitita (1982), Meu estranho diário (1996), Antologia pessoal (1996) e Onde estaes felicidade (2014).

Como compositora e cantora de samba, lançou o disco Carolina Maria de Jesus – Cantando suas composições, pela RCA Victor, em 1961.

 

História arquivística:

A coleção foi organizada pelo professor José Carlos Sebe Bom Meihy e microfilmada em 1996, em convênio com a Library of Congress; o acervo original foi devolvido à proprietária, Vera Eunice de Jesus Lima. O Cedap adquiriu, por meio do Programa de Pós-Graduação em Letras da Unesp, Câmpus de Assis, cópias dos microfilmes depositados na Biblioteca Nacional.

 

Procedência:

As cópias dos microfilmes foram adquiridas da Biblioteca Nacional em 2010.

 

Área de conteúdo e estrutura

 

Âmbito e conteúdo:

A coleção é composta por romances, diários, poesias, textos, provérbios, recortes de jornais, documentos diversos e fotografias.

 

Sistema de Arranjo:

O arquivo foi dividido em quatro séries, refletindo o arranjo efetuado pela equipe de pesquisadores da FBN, quando da microfilmagem feita em 1996, a partir dos documentos originais que, posteriormente, foram devolvidos à filha da titular. As quatro séries são identificadas como:

- Diário;

- Romance;

- Miscelânea;

- Documentos diversos.

A série miscelânea compreende os seguintes tipos documentais, classificados a partir do gênero literário ao qual pertencem: poesia, provérbios, contos, peças teatrais, histórias curtas, máximas, quadrinhas e textos autobiográficos.

A série documentos diversos compreende peças documentais agregadas ao arquivo por terceiros, tais como: termo de doação, certidão de nascimento, publicações diversas, etc.

 

Área de condições de acesso e uso

 

Condições de acesso:

Sem restrições para pesquisa.

 

Condições de reprodução:

Com autorização de herdeiro.

 

Idioma:

Português

 

Instrumentos de pesquisa:

Catálogo

 

Área de fontes relacionadas

 

Unidades de descrição relacionadas:

Arquivo Público Municipal Cassimiro de Araújo Brunswick - O fundo Carolina Maria de Jesus”, parte do acervo do Arquivo Público Municipal Cassimiro de Araújo Brunswick, em Sacramento, Minas Gerais, foi organizado e indexado através da utilização do método numérico simples. Seguiu-se o primeiro ordenamento do material, quase que idêntico em sua totalidade, o qual se encontra sob a forma de microfilmes na Biblioteca Nacional, no Rio de Janeiro, no Acervo de Escritores Mineiros, em Belo Horizonte, e na Biblioteca do Congresso, em Washington D.C.

Biblioteca Nacional - Em 2011, Audálio Dantas doou à Biblioteca Nacional do Rio de Janeiro um novo dossiê que consta de 14 cadernos, contendo diversos gêneros, mas predominando o gênero diário e 22 fotografias. Desses manuscritos, apenas o Caderno de número 11, datado de 04/12/1958 a 19/12/1959, foi digitalizado e encontra-se disponível no catálogo digital da biblioteca.

Insituto Moreira Salles - O Acervo Carolina Maria de Jesus chegou ao Instituto Moreira Salles em 2006. É formado apenas de arquivo com produção intelectual contendo dois cadernos manuscritos: um deles intitulado Um Brasil para os brasileiros: contos e poemas, e outra coletânea do mesmo gênero, sem título.

Museu Afro Brasil (MAB) - Há no Museu um “caderno” sem numeração e nomeado como “Diario 20” que pode ser considerado um exemplo para compreender as condições atuais dos manuscritos de Carolina de Jesus, bem como a maneira improvisada de como seus primeiros textos foram redigidos em toda sorte de suporte levantado da sucata “Diario 20” contém diversos textos escritos entre as datas de 10 de agosto a 26 de outubro de 1959, e foi emprestado por Audálio Dantas ao Museu Afro-Brasil (MAB)88 de São Paulo, em 2005, na ocasião em que a biblioteca do museu, em homenagem à escritora, recebeu o nome de Carolina de Jesus.

 

Área de notas

 

Notas sobre conservação:

Os microfilmes estão em bom estado de conservação.

 

Área de controle da descrição

 

Nota do arquivista:

A descrição da coleção foi extraída da seguinte tese de doutorado:

FERNANDEZ, Raffaella Andréa. Processo criativo nos manuscritos do espólio literário de Carolina Maria de Jesus. 2015. 315 f. Tese (Dourado em Teoria e História Literária) - Instituto de Estudos da Linguagem – IEL, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2015.

 

Regras ou convenções:

BRASIL. Conselho Nacional de Arquivos. NOBRADE: Norma Brasileira de Descrição Arquivística. Rio de Janeiro: Arquivo Nacional, 2006.

 

Data(s) da(s) descrição(ões):

Maio de 2016

CEDAP - CENTRO DE DOCUMENTAÇÃO E APOIO À PESQUISA

UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA - UNESP

CAMPUS ASSIS, SP

© 2014 by SERGIO BARCELLOS. Proudly created with Wix.com